Eleitores também esperam por políticas para animais

Se os números são implacáveis, a velha prática de sair pegando criança no colo deveria ser abortada pelos candidatos a prefeito – ou pelo menos substituída por um carinho no focinho do totó.

Pesquisa do IBGE, realizada em 2013, mostrou que o brasileiro tem mais cães domésticos do que crianças. São 52,2 milhões de cãezinhos contra 44,9 milhões de crianças de 0 a 14 anos. Só na cidade de São Paulo, estima-se uma população canina de 4 milhões. “Eu votaria em um candidato que tivesse uma política séria contra os maus-tratos de animais e que encapasse uma campanha contra o abandono de cães e gatos”, diz a veterinária Andressa Gontijo, de 35 anos, tutora do yorkshire Juanito.

Renata Buono, de 57 anos, organizadora de uma feira de doação de cães e gatos, diz conhecer ao menos três ou quatro candidatos a vereador que atuam na área de proteção animal. “Não é em detrimento de todos os outros problemas da cidade que eu procuro candidatos preocupados com o bem-estar animal. Eu procuro um candidato que, além de tudo, pensa nessa questão com seriedade”, afirma. Marco Ciampi, presidente da Associação Humanitária de Proteção e Bem-Estar Animal (Arca), diz que os candidatos à Prefeitura de São Paulo deveriam, primeiro, cumprir suas promessas que fazem todos os anos. “Muito é prometido em termos de cuidado animal e pouco sai do papel”, afirma.

Fonte: Política Livre

Powered by WPeMatico

Bombeiros resgatam tamanduá em Criciúma (SC)

Divulgação

O Corpo de Bombeiros de Criciúma foi acionado para atender uma ocorrência atípica. Uma guarnição se deslocou até a região da Praça da Chaminé, no bairro Próspera, para resgatar um tamanduá nas proximidades da Avenida Centenário.

Populares que passavam pelo local chamaram os socorristas e impediram que o animal acessasse a Avenida Centenário. O tamanduá estava bastante agressivo e assustado, sendo encaminhado pelos próprios bombeiros à Polícia Ambiental de Maracajá.

Orientação – Caso algum animal silvestre seja visto na região, a orientação é acionar a fundação ambiental de cada cidade, entretanto, se o município não possuir o órgão quem deve ser chamada é a Polícia Ambiental. Em Criciúma, por exemplo, o órgão responsável é a Fundação do Meio Ambiente (Famcri).

Conforme a Polícia Ambiental de Maracajá, se o animal estiver no seu habitat ele permanecerá no local, caso contrário, será capturado e liberado em outro ambiente. Em caso de ferimentos, ele é levado para um centro de reabilitação, em Florianópolis.

Para denúncias, o telefone da Polícia Ambiental de Maracajá, que atende a região, é: 3529–0187.

Fonte: Engeplus

Powered by WPeMatico

Maior evento vegano do Rio reúne mais de duas mil pessoas

Divulgação

No último domingo, dia 18, o Rio recebeu a 3ª edição do maior evento vegano da cidade, o já tradicional VegBorá, que reuniu cerca de duas mil pessoas e mais de 50 expositores, em Vila Isabel, na zona Norte da Cidade, comprovando aos cariocas que o veganismo pode ser popular.

Cada edição tem atraindo um público cada vez maior. Além de uma grande variedade gastronômica, com refeições quentes, hambúrgueres, salgados, bolos, tortas, doces, sucos naturais, com preços até R$ 20, houve a venda de cosméticos veganos, camisetas da causa, joias com dizeres veganos e sorteios. Parte da renda foi revertida para a causa animal.

O objetivo do encontro foi o de sensibilizar o público no sentido de que é possível comer bem, sem gastar muito e, sobretudo, sem a exploração animal.

Fonte: Veg Nutri

Powered by WPeMatico

Porco-espinho é encontrado dentro de mochila no DF

Divulgação

Um homem foi preso com um porco-espinho escondido dentro da mochila próximo ao Hospital Regional da Asa Norte (Hran). Segundo informações da Polícia Militar do Distrito Federal, um policial que trabalhava na área recebeu a informação de que havia uma pessoa em atitude suspeita no local.

No momento da abordagem, o homem tentou fugir, mas foi preso. Na mochila dele, a equipe encontrou o animal silvestre. O Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) foi acionado e conduziu o suspeito à Delegacia Especial do Meio Ambiente (Dema).

Fonte: Metrópoles

Powered by WPeMatico

Promotoria discute com a sociedade enfrentamento a maus-tratos de animais domésticos

Divulgação

A situação dos animais vítimas de maus-tratos e abandono no Distrito Federal foi tema de encontro promovido pela Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente (Prodema), na última terça-feira, 13 de setembro. O evento teve como objetivo traçar as principais diretrizes para a defesa dos animais domésticos de pequeno e grande porte.

Durante a reunião, representantes Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT) e do Comitê Interinstitucional da Política Distrital para os Animais (CIPDA), além de outros órgãos que lidam com o tema, expuseram as principais dificuldades enfrentadas no atendimento, tratamento e destinação dos animais domésticos encontrados em situação de maus-tratos e abandono.

Para a promotora de Justiça Luciana Bertini, “a intenção do MPDFT é construir um consenso entre os órgãos públicos, entidades sociais e voluntários quanto às medidas prioritárias para o enfrentamento dessa problemática, reconhecendo as iniciativas positivas já existentes e definindo as providências mais urgentes a serem adotadas”, ressaltou.

Luciana Bertini destaca ainda a necessidade de ampliar esse debate a outros órgãos. “Faremos novos convites para os próximos encontros e aguardamos a manifestação de interessados em contribuir para o incremento dessa discussão. Pretendemos buscar soluções para casos graves que ocorreram recentemente e traçar um passo a passo para o devido encaminhamento”.

Participaram do evento representantes da Secretaria de Agricultura e Desenvolvimento Rural (Seagri); da Universidade de Brasília (UnB); da Secretaria de Meio Ambiente (Sema); da Fundação Jardim Zoológico de Brasília; da Associação Protetora dos Animais do DF (ProAnima); da Delegacia do Meio Ambiente (Dema); do Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e da Comissão de Defesa dos Animais da OAB-DF.

Fonte: Fato Online

Powered by WPeMatico

Gatos têm vida nova após sofrerem com abandono e maus-tratos

Divulgação

Histórias de abandono de animais também trazem relatos de casos de amor por quem os resgata. Um gato que há 3 anos foi jogado em um bueiro pelo ocupante de um carro em movimento, em Botucatu (SP), hoje vive bem e se adaptou na casa da protetora Luciana Cruz.

Segundo ela, mesmo após casos como esse os animais se adaptam ao novo lar. Para os que acham que gatos não se tornam dóceis e amorosos, que os adultos fogem ou não se adaptam, ela prova o contrário. Em em sua casa, 15 animais que tem no total, 6 são gatos resgatados em situação de rua.

“Cada um com sua história. Morador de bueiro por 3 anos, arremessado de carro em movimento, vivendo no mato, etc. Eles acabam com tudo à noite; tenho que sair catando tudo que pode ser brinquedos na madrugada, tampinhas, sacolinhas, até saquinhos de pão”, conta.

“Mas amo tanto. Vivem seguros dentro de casa”, disse Luciana.

Ela conta que os felinos fazem suas necessidades dentro do banheiro adaptado para eles, alguns nas caixinhas de areia, que vai farinha de mandioca, e outros no vaso sanitário, são tão limpos, asseados, de uma higiene, diz ela, que chega a ser “absurda”.

“Eles comem somente ração, e água o tempo todo fresca. São carinhosos, e companheiros. Gatos são tudo de bom”, diz ela sobre os companheiros: Nicole, Negão, Chaveirinho, Terrorista, Amarelo e Kiki.

Fonte: Agência 14 News

Powered by WPeMatico

Associação protetora realiza trabalho voluntário de castração de animais carentes em Varginha (MG)

Leda Lima
ledasouzalima04@gmail.com

A Associação protetora dos Animais de Varginha, em Minas Gerais, foi fundada em 10 de julho de 1877 e desde então, luta para oferecer uma vida mais digna aos animais carentes do município.

A associação possui um núcleo de castração, que é o foco de trabalho. Cerca de 50 animais são castrados por mês e em um ano e meio, 1500 animais passaram pelo procedimento cirúrgico, evitando assim doenças e crias indesejadas, o que reduz o número de cães e gatos em situação de abandono.

As castrações são realizadas mensalmente. A associação também faz mutirões nos bairros, oferecendo o serviço totalmente gratuito para a população carente. Todo trabalho é de forma voluntária que visa unicamente dar condições de vida aos animais.

Divulgação

Associação Protetora dos Animais de Varginha
Leda Lima – Voluntária presidente
Contatos:
(35) 3222-1162
(35) 99188-0414

Powered by WPeMatico

ONG busca verba para castração em Bauru (SP)

Expectativa é angariar recursos para castrar até 170 animais (Samantha Ciuffa)

Um dos eventos mais importantes para angariar recursos visando a castração de animais em Bauru será realizado no próximo dia 18 de setembro, na Sociedade Hípica, a partir das 13h. A 3.ª Tarde Beneficente da ONG Bem Estar Animal espera reunir 500 pessoas.

Os números para concorrer aos mais de 300 prêmios – doados por empresários -, que serão sorteados na festa, já estão à venda, pelo valor de R$ 5,00. Já o convite para entrar no evento custa R$ 20,00 e dá direito a três cartelas, mais um número para o sorteio.

“Entre os brindes, temos batedeira, liquidificador e até uma TV de 40 polegadas”, destaca a vice-presidente da ONG Bem Estar Animal, Damair de Almeida, acrescentando que o evento contará ainda com a venda de pastéis, doces e bebidas.

Recursos

A expectativa é arrecadar em torno de R$ 17 mil, entre as vendas do convite e dos números avulsos. Com o dinheiro, diz Damair, será possível realizar entre 150 a 170 castrações. “Os procedimentos serão destinados a animais de pessoas com baixa renda”, detalha a ativista.

De acordo com ela, a ONG Bem Estar Animal já realizou, desde 2009, cerca de 12 mil castrações gratuitas em Bauru, entre cães e gatos. “A luta é constante. O evento é importante para dar continuidade à causa na cidade”, frisa.

Serviço

A 3.ª Tarde Beneficente da ONG Bem Estar Animal ocorre no próximo dia 18 de setembro, a partir das 13h, na Sociedade Hípica de Bauru, localizada à avenida José Henrique Ferraz, 7-14, Jardim Terra Branca.

O convite para entrar no evento custa R$ 20,00 e dá direito a três cartelas e mais um número para participar do sorteio de prêmios. Já o número avulso, para quem não pretende ir à festa, está sendo vendido a R$ 5,00.

Para adquiri-los, basta entra em contato com a ONG pelo telefone (14) 3016-1671. Os ativistas se colocam à disposição para levar os convites ou números até a residência do comprador. Mais informações também pela página no Facebook “Amigos da Bem Estar Animal”.

Fonte: JCNet

Powered by WPeMatico

Terceira idade canina: paciência é fundamental para cuidar de animais idosos

Tutores devem garantir aos animais cuidados de higiene, alimentação e saúde

Companheiros de muitas brincadeiras e aventuras, os animais domésticos também chegam à fase da maturidade. Nestes momentos, além de dificuldades causadas pela idade, podem sofrer de doenças crônicas, que exigem cuidados redobrados.

A médica veterinária Ana Maria Campos explica que a expectativa de vida de um animal doméstico varia conforme o ambiente a que ele está exposto, raça e condições de saúde e higiene. Em geral, cães de grande porte vivem em torno de dez anos. Já cães de pequeno porte podem viver entre 12 e 18 anos.

Quando chegam na fase madura, assim como um ser humano, passam a ter dificuldades que não existiam durante a juventude. Por isso, Ana Maria reforça que os tutores terão que gostar ainda mais de seu animal, além de ter muita paciência com o seu comportamento. A profissional explica que esse animal, possivelmente não vai mais enxergar ou ouvir direito, e que será preciso ajudá-lo em tarefas simples do dia a dia, como encontrar uma acomodação para dormir, tirá-lo do sol quando estiver muito quente, ou mesmo auxiliá-lo no momento de fazer as necessidades fisiológicas.

A alimentação equilibrada, sem gordura e sal, e o acompanhamento de saúde também são importantes.

Além disso, cuidados com higiene e de enfermagem também podem ser requisitados.

No caso de cães idosos, as principais causas de morte são doenças crônicas, como insuficiência renal, e complicações cardíacas ou hepáticas. Ou ainda, doenças infectocontagiosas, as quais podem ocorrer quando não são aplicadas as vacinas necessárias. Em todos os casos, os tutores devem buscar a orientação de um profissional, para saber sobre o tratamento mais adequado, e assim garantir qualidade de vida e bem-estar ao animal.

Fonte: Tudo e Todas

Powered by WPeMatico

Urso é flagrado em área urbana nos EUA

Urso é flagrado em ‘visita’ a campus de universidade nos EUA (Foto: University of Colorado)

Um urso foi flagrado durante uma “visita” ao campus da Universidade do Colorado em Boulder.

O urso foi visto primeiro passando por uma ponte sobre o Lago Varsity, por volta das 10h30, na quinta-feira (8), e depois apareceu subindo em uma árvore e passeando num bosque.

Um morador local fez um vídeo do animal. Assista.

Chris Mettenbrink, do departamento de parques do Colorado, disse que o urso voltou para as montanhas por volta das 19h.

Fonte: G1

Powered by WPeMatico